Um diálogo com a Metodologia de Gudrun e Daniel Burkhard (3 de 3)

Rosa A. Schoenmaker

5 – Ritmos e Saúde andam juntos: Em busca do tempo harmonioso para a sustentação dos processos na Formação.

Nossa semana na formação biográfica é de sete dias.  Tem uma razão e um sentido para isto. A escolha do ritmo de 7 permite que a experiência e a vivência sejam protegidas e integradas. Acabamos de ver o modulo onde trabalhamos com a Escultura “O Grupo” e quão profundo é o processo que os alunos percorrem. Assim acontece em todos os módulos. Para isto precisamos dar preferência ao tempo. Ha tempo para tudo. Tempo é questão de preferência.  Na nossa formação acreditamos que o tempo ideal está no ritmo de 7.

Um ritmo de 7 guarda os mistérios da criação do mundo, dos dias da semana, das notas musicais, dos 7 processos, dos setênios, dos 7 planetas, das sete cores do arco-íris, formando um todo harmônico, completo em sua essência.

As sete cores do arco-íris são a imagem das cores em harmonia.  Um símbolo da nova aliança com Deus que apareceu em forma de um arco colorido e harmonioso no céu após o dilúvio. A harmonia das cores.  Nossa alma vive e respira nas cores. Este respirar é uma condição necessária para ancorar os processos da alma e do nosso Eu.  Precisamos do tempo para que possamos cuidar da alma das pessoas que vêm para fazer a formação em biografia, tempo para compreender e acolher suas experiências biográficas e prepará-las para voltar para casa no final do curso.

Tempo para digerir os conteúdos, trocar experiências em grupo, fazer seu trabalho individual, participar das plenárias, realizar seus trabalhos artísticos, fazer a eurtimia, os teatros e até encontrar os colegas.  O número sete guarda os segredos da memória cósmica. Basta contemplar as 7 incorporações planetárias, seguidas das 7 épocas culturais, descritos na Ciência Oculta de Rudolf Steiner.(vide observação no final)

Nota: Como tendência temos hoje a forte atuação das forças que criam armadilhas e tentam dificultar estes processos.

6 – Arcanjo Micael- O espírito da coragem, da luta pelo bem e pela verdade na nossa vida

Na palavra coragem encontramos um estímulo a atuar a partir do coração. Um procedimento inspirador para estímulo de atitudes coerentes.  No coração reside impresso um registro incorruptível da verdade. Nosso coração não mente. Sabemos o que é e o que não é verdade.

Coragem é se colocar no caminho do meio assim como nosso coração.   De um lado da coragem temos o medo e do outro a ousadia.  Quando atuamos com coragem, corremos o risco, damos o passo, o medo nos paralisa e a ousadia não mede conseqüências.

Aqui Micael, a outra face do Cristo, nos dá coragem para lutar pelo que é bom, justo e verdadeiro. Coragem de lutar com os muitos dragões que surgem a todo o momento na nossa vida.  O dragão dentro de nós.

Na formação biográfica a abordagem toda, podemos dizer, é permeada da imaginação Micaélica

Hoje em dia temos que ter a coragem de entrar na pele do dragão. Olhar na nossa vida as forças paralisantes do medo que cria em nós resistências a mudanças.  Em todos os módulos temos que ter a coragem de olhar nossos pensamentos e sentimentos, realizando profunda auto-avaliação e colocando propostas de mudanças.

Entrar para formação biográfica com base na antroposofia é como se cruzássemos um portal, um limiar onde vamos aprender a abrir olhos para dentro da noite, a trabalhar nossos sentidos e, com estes novos órgãos de percepção, atuar a partir das forças do coração na construção de um mundo melhor.

 

7 – OS PROCESSOS

Na formação biográfica, sempre priorizamos os processos biográficos, as vivências artísticas, as experiências com o teatro, a música, a euritmia, os encontros em grupo em toda gama de atividade que foram criadas para proporcionar as mais profundas vivências e experiências anímicas espirituais. São de uma riqueza imensurável e vemos hoje o resultado disto. Temos 3 escolas atuando em diferentes partes do Brasil: São Paulo, Juiz de Fora e Florianópolis.

Observação: a autora  refere-se  a formação do grupo I de São Paulo (1993). Atualmente as 3 escolas existentes no Brasil – São Paulo/SP; Juiz de Fora/ MG e Florianópolis/SC adotam arquétipos diferentes para a elaboração de seus currículos. (Berenice von Rückert)

 

anterior

Compartilhar:
Share