Um diálogo com a Metodologia de Gudrun e Daniel Burkhard (1 de 3)

Rosa Ângela Schoenmaker

Em 8 de janeiro e 07 de fevereiro de 2014 tive longas conversas com Gudrun sobre o caráter da metodologia que ela e Daniel Burkhard desenvolveram para a Formação Biográfica.

Metodologia é uma palavra derivada de “método”, do Latim “methodus” cujo significado é “caminho ou a via para a realização de algo”.

Pude contar a ela como eu sentia vibrar dentro de mim aquela gota de ouro que nos foi dada desde o inicio de 93 quando iniciou o primeiro grupo. A exemplo do próprio local onde aconteciam os “biográficos”, percebi desde o inicio a importância do espaço físico onde acontecem os cursos.

 

 1- ESPAÇO FISICO “A ARTEMÍSIA” – A importância do espaço físico para proteção dos processos.

 Assim como cuidamos do nosso corpo físico o local físico, no caso a Artemísia abrigava os nossos cursos.  Este Centro de Desenvolvimento Humano ficava longe do centro da cidade de S Paulo, em meio à natureza da Mata Atlântica, onde jorrava uma fonte que alimentavam a edificação colonial rústica e confortável. Tínhamos quartos para pernoitar, piscina, sauna, tratamentos, trilhas para caminhadas e contemplação da natureza em dias de sol ou em noites estreladas.  Alimentação cuidadosamente preparada.  Éramos acolhidos e protegidos para realização de nosso processo biográfico.  Podíamos interiorizar, aprofundar nossas questões, renascer ao mergulhar na nossa biografia, reescrever nossa historia de vida conferindo a ela nova cor.  Um local ideal para o mergulho nas questões existenciais e que com o passar do tempo iam sendo compreendidas, percebidas e renovadas. Saíamos de cada modulo com a sensação de que estávamos muito mais fortes e capazes de transformar ou aceitar o destino compreendendo nosso ser como um ser integrado a leis de sabedoria cósmica.  Nosso eu e nossa alma estavam a cada dia trabalhando forças perante os acontecimentos da vida à medida que os conteúdos esclarecedores chegavam para ancorar nosso trabalho interior e exterior.

O espaço físico, cuidadosamente planejado, para acolhimento dos processos individuais ou em grupo fazia parte dos cuidados que a metodologia privilegiava para ser vivenciada e experimentada na durante a formação Biográfica.

Hoje posso entender melhor o processo pelo qual passamos. Longe de ser um processo teórico foi muito mais um processo de vivencias e experiências em contato comigo mesmo, e com as outras pessoas.

 

  2- ESPACO ANÍMICO PARA OS ENCONTROS – ONDE DOIS OU MAIS ESTIVEREM REUNIDOS EM MEU NOME EU ESTAREI ENTRE VÓS (Mt, 18,20) O mistério do encontro, O caminho a Verdade e a Vida.

 Este processo, descrito na frase supracitada, é o ponto alto do trabalho biográfico. Isto dito muitas vezes pela própria Gudrun durante nosso caminho de formação. No encontro com outras pessoas é que podemos ser levados a desenvolver as habilidades de sentir empatia, compreender e amar. Qualidades essenciais para a vida social plena de sentido.

 

_ “Não são as palestras e nem o livro o mais importante. Hoje temos isto disponibilizado nas bibliotecas, livrarias, na internet e cada um pode buscar o conteúdo nestes locais. O mais importante são os processos do grupo.” Eu percebo que temos vasta literatura com abordagens sobre a paz, entretanto a paz não se faz lendo, e sim fazendo. Este fazer está no propósito e nas intenções de nos reunirmos ou encontrar em nome de algo sagrado. Este mistério do encontro é parte intrínseca da metodologia. Eu acredito que estamos na terra para encontrar as pessoas, independente de laços de sangue, de parentesco ou de interesses. Quando nós encontramos uma força supra-sensível que também está presente, isto permite o encontro com o eu do outro numa instância elevada. A compreensão deste fenômeno faz um chamado à alma da consciência que acorda no próprio Eu, as forças do amor para que o outro possa ser escutado num espaço silencioso, presente, despido de qualquer julgamento, isento de interpretações.

Um espaço de liberdade onde cada pessoa pode se expressar em confiança e segurança.  Somos levados a descobrir em nós as forças sociais e anti-sociais.  O trabalho em grupo nos coloca no caminho para nos tornarmos um ser humano melhor e mais operante na co-responsabilidade social.

* Rosa Ângela Schoenmaker:
Bacharel em Comunicação Visual pela Universidade Mackenzie.
Aconselhadora Biográfica formada no grupo I do Centro Artemísia de Desenvolvimento Humano
Trabalhou durante 25 anos na Artemísia e Clinica Tobias como Aconselhadora biográfica e Terapeuta Artística.
Cofundadora da Associação Biográfica e do Núcleo de Formação Biográfica.
Hoje atua como membro do Conselho Internacional da Aliança Pela Infância.
Reside na Itália
Contatos: rosaschoenmaker@gmail.com

Próximo ⇒

Compartilhar:
Share