Ata da Assembleia Geral Ordinária – 07/12/14

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ACONSELHADORES BIOGRÁFICOS – ABAB

Aos 07 de dezembro de 2014, na Rua Regina Badra, 576 – Alto da Boa Vista, São Paulo – SP, CEP 04641-000, reuniram-se os associados e demais interessados identificados na lista de presença que, assinada por todos, fica fazendo parte integrante da presente ata para todos os fins de direito, com o objetivo de apresentar o relatório da Diretoria e deliberar alteração do estatuto da associação, na forma proposta do edital de convocação enviado a todos os associados nos termos das disposições contidas no estatuto vigente. A Assembleia foi presidida pela Sra. Berenice Von Rückert e secretariada pela Sra. Alexandra Mettrau Gonçalves Gomes Pinto Guedes, tendo início às 09h30min, em segunda convocação, com o quorum existente para sua realização.

Dando início aos trabalhos, a Presidente apresentou os Membros da Diretoria presentes: Berenice Von Rückert, residente em Belo Horizonte – Diretora Presidente, e Alexandra Mettrau Gonçalves Gomes Pinto Guedes, residente no Rio de Janeiro – Diretora Secretária; nomeou os ausentes: Laura de Lira e Oliveira, residente no Rio de Janeiro – Diretora Vice-Presidente e Ana Maria Lucchesi Cunha Vasconcelos, residente em Belo Horizonte – Diretora Tesoureira, bem como os Membros do Conselho Fiscal: Haydée Virgínia da Costa Lemos , residente em Nova Friburgo e Lilian Vaz Martinho,  residente em Florianópolis, também ausentes. Informou ainda que a Sra. Haydée Virgínia da Costa Lemos,enviou uma procuração, anexada nesta Ata.

 

Em seguida a Presidente relatou as atividades da Diretoria desde sua eleição, na Assembleia de 2013, como segue:

Houve a necessidade de realizar a transferência da conta corrente da Associação de São Paulo para Belo Horizonte, em virtude da residência da Presidente e da Tesoureira, no entanto, por exigências e questões internas do Banco do Brasil, este processo durou mais de 6 (seis) meses, o que bloqueou o uso da conta. Atualmente a conta já se encontra desbloqueada e em uso.

Em termos de atividades para os sócios e público em geral, a Diretoria, neste exercício, realizou os Encontros Anuais de 2013 e 2014 e, em conjunto com as Escolas de Formação, a Associação realizou a Comemoração dos 21 Anos da Formação Biográfica no Brasil, apoiando na elaboração, planejamento, divulgação e concretização do evento, bem como captando os recursos para tal.

A Sra. Márcia Della Negra perguntou se todos os presentes haviam recebido a convocação para a Assembléia, pois havia um retorno de aconselhadores que não compareceram à AGO, por não terem recebido a convocação. A partir deste questionamento decidiu-se verificar e aprimorar a forma de envio, o que será feito pela própria ABAB, bem como pelas Escolas de São Paulo e Minas. Ficou a pergunta e os presentes se comprometeram a pesquisar quais as melhores ferramentas para esta divulgação.

A Presidente continuou informando que na Assembléia de 2013 o nome da Associação foi alterado de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O TRABALHO BIOGRÁFICO COM BASE NA ANTROPOSOFIA para ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ACONSELHADORES BIOGRÁFICOS – ABAB, no entanto, esta alteração não foi registrada em Ata, portanto foi sugerida novamente a modificação do nome na presente Assembléia, o que foi aprovado por todos os presentes.

Também em virtude da residência da Presidente e da Tesoureira, a Associação mudou o contabilista para um escritório em Belo Horizonte que está efetuando as atualizações junto aos órgãos públicos.

Outras ações desta Diretoria foram:

– apoio aos profissionais Aconselhadores Biográficos na divulgação de suas atividades, cuja resposta dos Aconselhadores apoiados tem sido bastante positiva;

– atualização do site da ABAB, em realização, para o que estamos contando com o apoio do Sr. Roberto, que vem prestando uma consultoria voluntária desde a elaboração inicial do site;

– atualização da contribuição anual dos sócios, que pode ser paga em forma única anual ou parcelada semestral ou mensalmente, trabalhando com o conceito trimembrado de valor: valor máximo – definido por uma contribuição ideal para a saúde financeira da Associação; valor possível – definido por uma contribuição que o associado considera possível para ele, situada entre os valores máximo e mínimo definidos pela Associação e; valor mínimo – definido por uma contribuição minimamente necessária para a manutenção da Associação. O valor da contribuição foi aprovado pelos presentes para os exercícios de 2014 e 2015;

– envio de carta convidando os profissionais a se associarem, informando o valor e a forma de contribuição;
– cadastramento no banco da modalidade de boleto bancário para cobrança da contribuição, em virtude da dificuldade de controlar quem realizou os depósitos das anuidades efetuados.

A Presidente esclareceu que a forma de associação dos Membros, quando o site foi construído, foi vinculada ao cadastramento no site, objetivando angariar recursos para a construção e manutenção do site, porém a maioria não renova o registro e, portanto, não realiza posteriores contribuições financeiras para a Associação. Em virtude disso, uma ação que esta Diretoria vem realizando é a de atualizar a lista de Membros, objetivando resgatar os associados antigos e captar novos Membros através da divulgação da ABAB, seus objetivos e suas ações.

A Associação tem atualmente, contando com os 4 (quatro) diretores e 2 (dois) conselheiros, 31 (trinta e um) sócios adimplentes, dos quais 11 (onze) são Membros novos e os demais são sócios antigos que renovaram suas anuidades.

A Presidente lembrou aos presentes que o objetivo de uma Associação, de acordo com Rudolf Steiner, é as pessoas se associarem para apoiar espiritualmente aquele impulso, no entanto, na vida terrena, as pessoas se associam porque querem benefícios, portanto, além do apoio ao impulso, as Associações devem oferecer algum benefício. Além disso, o objetivo da nossa Associação é apoiar o profissional, portanto a Diretoria vem avaliando quais benefícios pode e deve oferecer aos profissionais para que eles queiram se associar e manter sua associação. Neste sentido, a Diretoria vem elaborando formas de benefício aos associados e algumas das ações já em andamento são:

– apoio às atividades dos associados, avalizando-as através da colocação da marca da Associação no material de divulgação e auxiliando na publicidade e propagação das mesmas;

– realizar parcerias com empresas antroposóficas para a disponibilização de descontos na compra de seus produtos e/ou serviços. Já estamos em conversação com a Editora Antroposófica e as Farmácias Weleda, neste sentido. E estamos pensando o que seria de interesse dos associados para realizarmos permutas ou apoios que tragam estes benefícios.

A Sra. Márcia Della Negra informou que a principal solicitação é a existência de uma identificação profissional, mesmo que ainda a profissão não esteja reconhecida, mas que tenhamos um documento ou alguma forma de nos identificarmos enquanto grupo profissional.

Informou ainda que, a quase totalidade dos associados que realizaram seu cadastro no site o fizeram buscando uma forma de divulgar o próprio trabalho e ela entende que seria pertinente que as pessoas que trabalharam nas Diretorias anteriores, como ela própria e a Sra. Adriana Ortiz, presentes nesta AGO, bem como outras pessoas envolvidas nestes processos anteriores da Associação, ajudassem a contatar estes associados antigos e profissionais formados há mais tempo ajudando na reaproximação e chamamento dos mesmos para renovarem ou realizarem sua associação, uma vez que a Associação tem um novo nome, um novo objetivo e um novo quadro diretor, é necessária uma transição que possibilite um entendimento e reconhecimento da associação. As Sras. Márcia e Adriana, em nome das Diretorias anteriores, uma vez que são nomes mais próximos dos associados antigos e profissionais formados pela Escola de São Paulo, se propuseram a auxiliar neste processo.

A Sra. Adriana pontuou que uma necessidade que ela percebe é a organização de um calendário semestral ou anual que possibilite aos associados consultarem os eventos que estão em andamento com certa antecedência, bem como divulgarem suas próprias atividades. Outra necessidade é a realização das parcerias e de eventos que promovam preços diferenciados para associados, como o curso de atividade artística que a Escola de São Paulo está promovendo.

A Presidente colocou que há uma diferença, pois a Associação não pode repassar para as Escolas este compromisso, uma coisa é o que as Escolas de Formação promovem e outra é o que a Associação promove, no entanto, no que for pertinente e possível para a Associação, ela pretende promover este tipo de benefício.

A Sra. Regina Rapacci pontuou que discorda da questão do profissional se associar por causa do desconto, pois esta palavra traz uma sensação de escassez. Uma coisa é reconhecer o valor de um trabalho e viabilizar o acesso aos outros e outra é dar desconto e ela enxerga que o maior papel da Associação é apoiar, mas que este apoio seja algo que o profissional quer retornar, apoiando de volta a associação.

A Sra. Márcia complementou que na hora em que você se associa você se torna parte, você passa a ter uma identificação e a associação não deve ser promovida porque o profissional quer desconto e sim porque ele quer ser parte desta identidade. A motivação tem que estar na identificação e não no benefício, pois se assim fosse, a motivação estaria invertida e a associação não seria ou teria o impulso espiritual com o qual as pessoas gostariam de se identificar, a motivação estaria apenas na esfera terrena.

A Sra. Alexandra Mettrau colocou que temos que olhar como vemos esta questão, pois o benefício, na verdade, não é um desconto; se uma pessoa se associa e contribui financeiramente para a associação, ela está fazendo a associação e está construindo as ações da associação, por isto ele tem um percentual menor de contribuição nas atividades da associação: não porque ele tem um desconto, mas porque ele é ator na construção destas ações. Fisicamente, quem constrói a ação é a Diretoria, mas ela está delegada naquele momento.

A Sra. Márcia pontuou que há uma questão de consciência e se eu não posso pagar é uma coisa e eu coloco isto para a associação e os organizadores das atividades, mas se eu simplesmente não quero, qual é a minha identificação com este impulso?

E o Sr. Ronaldo José  de Lima Perlatto levantou que esta é uma visão clara dos presentes, mas que nem todos têm esta visão e que, neste sentido, é também papel da Associação, clarear esta visão, assim como é papel dos cursos, das Escolas e das entidades que de alguma forma vinculam-se à Associação, pois esta é uma questão ética.

Ele informou que as Associações Antroposóficas todas têm esta visão de identificação com o impulso e as pessoas se associam, reclamam que faltam benefícios, as associações criam formas de dar benefícios e os associados não usufruem, pois há também uma cultura de que as associações antroposóficas não costumam dar nada, então este é um trabalho de longa data.

A Sra. Regina colocou que a associação precisa inspirar. Como a associação inspira?

A Sra. Márcia pontuou que chegamos ao ponto da Assembléia, que é definir a que se propõe esta Associação, qual é a identidade da Associação, uma vez que ela está exatamente num momento de renascimento, pois antes era vinculada às formações, pretendia ser uma espécie de associação mantenedora da formação, mas agora ela se destina aos profissionais e não às escolas.

A Sra. Nair Ribas D’Avila contribuiu com sua própria experiência, pois, ao ser convidada para fazer uma apresentação no Encontro Anual, a Associação declinou de sua contribuição, no entanto, ela fez questão de contribuir, pois veio fazer uma apresentação, mas também usufruir o que os demais trariam e das vivências no grupo, como também o privilégio de contribuir com sua própria história e receber a história de cada um.

O Sr. Ronaldo concluiu que temos apenas que tomar o cuidado de lembrar que estamos partindo do nosso ponto de vista e que cada vez mais as pessoas que procuram a profissão de aconselhador biográfico, são indivíduos que não têm conhecimento da Antroposofia, enquanto no passado todos ou a grande maioria era de antropósofos de longa data e as turmas atuais, ao contrário, têm sido formadas por um número maior de pessoas que não conhecem nada de Antroposofia, portanto cada vez menos as pessoas têm esta consciência. Quando fazemos um Estatuto, fazemos para o futuro, para pessoas que não conhecemos e que não têm a nossa visão.

Diante destas considerações, ficou evidente a necessidade de realmente termos uma visão clara e objetiva das finalidades da Associação, para que isto seja comunicado de forma correta aos associados e a vinculação a esta Associação seja feita de forma consciente e responsável.

Neste sentido a Sra. Nair sugeriu que verificássemos também outras formas de pagamento, como por exemplo, via cartão de crédito, pois o boleto, em sua visão, é algo muito impessoal e rudimentar. A Sra. Berenice informou que verificou com o banco esta possibilidade, mas apenas com um número mínimo de 200 associados, o que no momento não temos.

A Sra. Berenice informou sobre a remodelação do site, que terá uma agenda de eventos, um noticiário do aconselhador biográfico, ou seja, os aconselhadores escreverem textos ou notas inspirativas que seriam enviadas à Diretoria que teria um banco de dados de notícias pequenas que seriam sempre trocadas, as notícias estariam sempre atuais, de forma que as pessoas tenham interesse em visitar o site para ver o que está acontecendo; na parte central teríamos banner de divulgação dos próximos eventos, tanto os eventos dos aconselhadores, quanto das Escolas; no lado direito da página teremos o indicador profissional e dos grupos de trabalho, e abaixo os links de interesse de outras iniciativas antroposóficas, bem como notícias destas outras iniciativas. Além disso, queremos ter um local no site que informe sobre as regionais da Associação.

A Sra. Regina propôs uma dinâmica para escolhermos três verbos que definam a associação. Muitos verbos foram levantados, mas, após alguns minutos tentando escolher os 3 (três) mais significativos, optou-se por realizar as alterações no Estatuto e, havendo tempo, no final, terminar de concluir a dinâmica para escolha dos verbos.

Em seguida a Presidente submeteu aos presentes a proposta de alteração do Estatuto da associação. Assim feito, logo em seguida, as cláusulas foram colocadas em votação, tendo sido aprovadas, de forma unânime pelos associados presentes, todas as alterações propostas para o Estatuto cuja redação final encontra-se anexada a esta Ata.

Após a alteração os presentes retornaram à dinâmica da escolha dos verbos, comentando que havia agora, após a definição das finalidades e do Estatuto, maior clareza para esta definição.

Os verbos que definem a Associação Brasileira de Aconselhadores Biográficos são:

AGREGAR; APOIAR; EXPANDIR.

A Sra. Nair propôs e se comprometeu a fazer um texto a ser complementado por todos os presentes, noticiando o ocorrido no Encontro Anual e na Assembleia para ser enviado aos sócios. A proposta foi aprovada e decidiu-se, portanto que o texto seria enviado aos sócios e a Ata e o Estatuto seriam disponibilizados no site para consulta.

A Missão da ABAB foi complementada, ficando com a seguinte redação:

A Associação Brasileira de Aconselhadores Biográficos – ABAB tem como missão AGREGAR e APOIAR o profissional Aconselhador Biográfico e, EXPANDIR as ações e conhecimentos inerentes à profissão e ao alcance de suas atribuições, contribuindo para o pleno desenvolvimento das potencialidades da pessoa humana, sem distinção de nacionalidade, raça, credo político ou religioso ou quaisquer outras formas de discriminação. Nesse sentido a Associação terá por objetivo o desenvolvimento da pesquisa e da consultoria no trabalho biográfico orientado pela Antroposofia, proporcionando uma complementação profissional, no campo pedagógico social, terapêutico e organizacional, segundo as bases dadas por Rudolf Steiner e pela metodologia biográfica criada por Gudrun  Groekel Burkhard. Para atingir sua missão a Associação poderá promover e praticar todos os atos condizentes com seus fins, bem como realizar quaisquer atividades a eles relacionadas, angariando e administrando seus fundos com o intuito de atingir seus objetivos.

Somente Membros com todos os seus créditos aceitos pelas Escolas de Formação reconhecidas pelo Fórum Brasileiro de Escolas de Formação Biográfica poderão ser candidatos à diretoria desta Associação.

Nada mais havendo a tratar, a presidente da ABAB, Sra. Berenice Von Rückert, deu por encerrada a assembléia e, para constar, eu, Alexandra Mettrau G. G. P. Guedes, secretária nomeada da referida assembléia, lavrei a presente.

 

São Paulo, 07 de dezembro de 2014

(Assinaturas)

Berenice Von Rückert – Diretora Presidente

Alexandra Mettrau G. G. P. Guedes – Diretora Secretária

 

 

 

 

Compartilhar:
Share

Deixe um comentário