Advento – 3ª Semana

Coroa do Advento,
Os quatro domingos que antecedem ao natal.

Berenice von Rückert*

Podemos dizer que a Coroa de Advento constitui um hino à natureza que se renova. A luz que vence as trevas, um hino à Cristo, a verdadeira luz, que vem para vencer as trevas do mal e da morte. É, sobretudo, um hino à vida que brota da verdadeira Vida.

A mensagem da Coroa de Advento é percebida a partir do simbolismo de cada um de seus elementos.

A coroa tem a forma de círculo, símbolo da eternidade, da unidade, do tempo que não tem início nem fim, de Cristo, Senhor do tempo e da história. O círculo indica o sol no seu ciclo anual, sua plenitude sem jamais se esgotar, gerando a vida. Este Sol é símbolo de Cristo.

As quatro velas indicam as quatro semanas do Tempo do Advento, as quatro fases da História da Salvação preparando a vinda do Salvador, os quatro pontos cardeais, a Cruz de Cristo, o Sol da salvação, que ilumina o mundo envolto em trevas. O ato de acender gradativamente as velas significa a progressiva aproximação do nascimento de Jesus, a progressiva vitória da luz sobre as trevas.

Originariamente, as velas eram três de cor roxa e uma de cor rosa, as cores dos domingos do Advento. O roxo, para indicar a penitência, a conversão a Deus e o rosa como sinal de alegria pela proximidade do nascimento de Jesus, usada no 4º domingo do Advento.

Várias são as leituras do significado de cada vela.

Fases da salvação
A primeira é a vela do perdão concedido a Adão e Eva, que de mortais se tornarão seres viventes em Deus;
A segunda é a vela da fé dos patriarcas que crêem na promessa da Terra Prometida;
A terceira é a vela da alegria de David pela sua descendência;
A quarta é a vela do ensinamento dos profetas que anunciam a justiça e a paz;
Visitas de Deus na história, preparando a vinda do Cristo
1ª vela – o tempo da criação: de Adão e Eva até Noé;
2ª vela – o tempo dos patriarcas;
3ª vela – o tempo dos reis;
4ª vela – o tempo dos profetas.
Fases do nascimento
A primeira vela é do profeta;
A segunda vela é de Belém;
A terceira vela é dos pastores;
A quarta vela é dos anjos.
Os quatro arcanjos
1. – Gabriel – anunciação
2. – Raphael – cura
3. – Michael – força de vontade
4. – Uriel – morte e ressurreição

 

* Berenice von Rückert
Aconselhadora biográfica
Presidente da Associação Brasileira de Aconselhadores Biográficos
Belo Horizonte – MG

 

ADVENTO 3ª SEMANA

Já enfrentamos a primeira semana do Advento (que começou dia 29/11) quando acendemos a primeira vela como recordação do perdão concedido Adão e Eva e a referência ao Reino Mineral.
No último dia 06 de dezembro começou a segunda semana, que referenciou o reino vegetal, e neste domingo (13/12) adentramos na 3ª semana.

Coroa do advento

3º Domingo do Advento
Acende-se a TERCEIRA VELA

A terceira vela acesa nos convida à alegria e ao júbilo pela aproximação da chegada de Jesus. A cor litúrgica de hoje, o rosa, indica justamente o Domingo da Alegria, ou o Domingo Gaudette, onde transborda nosso coração de alegria pela proximidade da chegada do Senhor. Esta vela lembra ainda a alegria celebrada pelo rei Davi e sua promessa que, agora, está se cumprindo em Maria.

Oração:
“Alegrai-vos sempre no Senhor! De novo vos digo: Alegrai-vos! O Senhor está perto”

História a ser contada:

O vagalume – 3ª semana do Advento

Quando o anjo do senhor anunciou aos pastores no campo que o menino Jesus se encontrava já deitado na manjedoura, um pequeno besouro subiu até a palha da manjedoura. E o anjo se inclinou á criança, viu o besouro nas hastes da palha e falou para ele: “O que tu estás fazendo aqui? Vá até os bichinhos do campo e diga-lhes que uma criança do céu veio á terra”. Mas o besouro falou: ”Quem vai acreditar em mim, eu sou tão feio e pequeno”. Então o anjo pingou uma faísca reluzente nas suas costas: ”Aqui tens uma luzinha esta deve iluminar a verdade”.

Cheio de alegria zumbiu o besourinho e voou para fora do estábulo, foi aos arbustos, para junto dos coelhos e veados, meteu-se entre as pedras juntas ás lesmas e ouriço, voou para cima das árvores junto aos pássaros dormindo, sempre exclamando: ”uma criança do céu veio á Terra, uma criança do céu veio á Terra”.

Assim também os animais ficaram sabendo da noite santa e os pássaros já cantavam muito cedo, muito antes de clarear o dia.

Mas quem comunicou aos peixes?

Na hora santa caíram estrelas cadentes em todas as águas do mundo; e assim também os peixes ficaram sabendo que foi uma noite especial. Desde aí suas vestes de escamas reluzem muito mais bonitas do que antes, e diz-se que na noite santa todos os bichos podiam conversar entre si por pouco tempo, à meia noite.

Sobre estrelas, sobre astros
Vai Maria a caminhar
Ouro puro, luz divina
Ao seu filho vai levar
O seu passo santo e leve
As estrelas vêm olhar
E a Terra no Natal
Suas mãos vão abençoar
Deitado em manjedoura
Que de berço serviu
Jesus pequenino
Docemente dormiu
Estrelas fulgurantes
Inundaram de luz
O berço de palhas
Onde estava Jesus
O gado que mugia
O menino acordou
Tão meigo e sorrindo
Jesus não chorou
Eu te amo pequenino
Que nasceu em Belém
Vem guarda meus passos
E meu sonho também
Surgem anjos proclamando
Paz na Terra e a Deus louvor
Vão seus hinos entoando
Nas montanhas em redor
Glória a Deus nas alturas

vagalume

Compartilhar:
Share